segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Gary Moore


Morreu aos 58 anos o guitarrista Gary Moore. O corpo do músico foi encontrado na manhã de domingo, dia 06, em um quarto de hotel na cidade espanhola de Estepona, onde Moore passava férias. A causa da morte ainda não foi divulgada.
Considerado um dos grandes nomes do Blues, Gary Moore nasceu em Belfast, na Irlanda do Norte, e começou sua carreira ainda adolescente, no final dos anos 60, na banda Skid Row (não confundir com o famoso grupo de Hard Rock dos anos 80/90).

Na primeira metade da década de 1970 entrou para o Thin Lizzy a convite de Phil Lynott. Depois também trabalhou com o ex-baixista e vocalista da banda em outros projetos.
Em sua carreira solo, Moore deu ênfase ao Blues, gravando músicas que se tornaram clássicos como “Parisienne Walkways”, “Over the Hills and Far Away” (regravada pelo Nightwish), “Cold Day in Hell” e a música que – provavelmente – é a mais conhecida do guitarrista: “Still Got the Blues”.
A vida de quem cresceu em meio às bombas do IRA e às brigas religiosas do pós-guerra refletia-se em seu som de guitarra: extremamente triste e sofrido, mas também visceral e técnico quando solicitado.
Ele iniciou a trajetória profissional aos 16 anos de idade, tendo Eric Clapton, Peter Green e Jimi Hendrix como ídolos, e participando das gravações de um álbum da banda de folk Dr. Strangely Stranger. Pouco depois, Moore estava no Thin Lizzy, onde conheceu seu fiel comparsa, Mr. Phil Lynott.
Apesar do fanatismo pelo blues, o jazz também fazia sua cabeça, tanto que foi o estilo melhor explorado em seu primeiro álbum-solo, Grinding Stone (1973), e em sua breve jornada com a segunda encarnação do Colosseum, batizada de Colosseum II.
No Thin Lizzy, ele colaborou na gravação de alguns álbuns, mas gravar mesmo foi só no compacto Darling (1974) e no álbum Black Rose (1979).
Em parceria com Ozzy Osbourne, Moore compôs e gravou a canção "Lead Clones", presente em seu disco After The War e no CD "The Secret Songs" de Ozzy.
Fez a sua carreira solo e ainda com muito sucesso, com destaque em duas fases distintas: a mais pesada de discos como "Corridors Of Power" (1982) e a mais blueseira e comercialmente rentável de álbuns como Still Got the Blues (1990).

Discografia

§ Grinding Stone (1973)
§    G-Force (1980)
§    Live at the Marquee (1981)
§    Gary Moore (1982)
§    Corridors of Power (1982)
§    Victims of the Future (1983)
§     Dirty Fingers (1984)
§    We Want Moore (1984)
§     Run for Cover (1985)
§    Wild Frontier (1987)
§    After the War (1989)
§    Still Got the Blues (1990)
§    After Hours (1992)
§    Blues Alive (1993)
§    Around the Next Dream (1994)
§    Ballads & Blues 1982-1994 (1994)
§    Blues for Greeny (1995)
§    Dark Days in Paradise (1997)
§    Out in the Fields (1998)
§    Blood of Emeralds (1999)
§   A Different Beat (1999)
§   Back to the Blues (2001)
§   Best of the Blues (2002)
§   Have Some Moore - The Best Of (2002)
§   Live at Monsters of Rock (2003)
§   Power of the Blues (2004)
§   Old New Ballads Blues (2006)
§   The Platinum Collection (2006)
§    Close As You Get (2007)
§   Bad for You Baby (2008)
§    Guitar Mindtrip (2010)