terça-feira, 17 de abril de 2012

Rock - The Jet Blacks



Considerada por muitos como a primeira banda de rock do Brasil, o The Jet Blacks foi formado em São Paulo em 1961 com Gato (guitarra e teclados), Orestes (guitarra), José Paulo (baixo), Jurandi (bateria) e Ernestico (saxofone). Inicialmente, seu nome era The Vampires, porém, logo foi modificado para o atual em homenagem ao grupo inglês Shadows, cujo um dos maiores sucessos foi a canção "Jet Black". Além dos Shadows, outra influência do grupo foi a do conjunto norte-americano Ventures (famoso pelo tema do seriado Havaii 5-0). Ambos tinham como repertório básico rocks e twists instrumentais feitos para bailes. Em 1962, assinaram com a Chantecler e lançaram seu primeiro disco, um 78 RPM, no qual fizeram dois covers dos Shadows: "Apache" e "Kon-Tiki". Com o sucesso da estréia, a gravadora investiu no grupo com o lançamento de dois LPs.
O primeiro, lançado ainda no mesmo ano, foi "Hully Gully", e o segundo foi gravado no ano seguinte, "Twist - The Jet Blacks again". Ao longo da década de 1960 foi um dos grupos mais requisitados para shows e gravações de intérpretes como
Celly Campelo, Ronnie Cord (que acompanhou na gravação do sucesso "Rua Augusta"), Roberto Carlos, Sérgio Reis e outros astros da Jovem Guarda. Em 1965, passaram a fazer gravações vocais e lançaram o LP "Jet Blacks", no qual se destacaria a regravação do clássico do rock norte-americano "Suzie Q", de Dale Hawkins


Ainda no mesmo ano, gravaram aquele que seria seu maior sucesso: "Tema para jovens namorados", versão para "Theme for young lovers", lançado em compacto que incluía também "Suzie Q". A partir de 1968, o guitarrista Gato saiu e foi substituído por Guilherme Dotta. Com o declínio da Jovem Guarda, no final dos anos 1960, o grupo entrou em crise apresentando várias formações, sempre em torno de Jurandi. Na década de 1970, caíram no ostracismo e encerraram as suas atividades, somente retomadas no início da década seguinte, com a revitalização do rock no Brasil. 

Em 1982, os remanescentes do grupo, Jurandi e Guilherme, assinaram com a Som Livre e lançaram o LP "Rides again", com novas versões para sucessos da década de 1960. Em 1998, Douglas Dotta, filho de Guilherme, retomou o trabalho do grupo. Participaram das comemorações referentes aos 30 anos da Jovem Guarda, regravando "Apache" para a caixa de CDs "30 anos da Jovem Guarda", lançada pela PolyGram, em 1995.