terça-feira, 27 de março de 2012

Steve McQueen


Este post faz referência a um dos melhores atores de ação de todos os tempos, marcando uma época em que todos os atores eram bons. Quem tiver ou teve o privilégio de assistir a algum filme de McQueen, principalmente "Bullit", por favor, façam uma analogia aos "Velozes e Furiosos" da vida e tirem suas conclusões.
Terrence Steven McQueen, mais conhecido como Steve McQueen (Indianapolis, Indiana24 de março de 1930 — Ciudad JuárezMéxico7 de novembro de 1980), foi um ator americano, sempre lembrado pelos filmes de ação que protagonizou. Apelidado de "The King of Cool". É considerado um dos maiores atores de todos os tempos. Em 1974, ele se tornou o astro de cinema mais bem pago do mundo. Ele era também um piloto ávido de motocicletas e carros. Enquanto ele estudou atuação, ele passava os finais de semana competindo em corridas de moto, e comprou sua primeira moto com seus ganhos. Ele é reconhecido também por ele próprio realizar suas cenas de ação dispensando o uso de dublês, especialmente a maioria durante as cenas de perseguição de alta velocidade. McQueen também desenhou e patenteou um assento e transbrake para carros de corrida.
Steve foi menino de fazenda, conviveu com hippies, delinquentes e transviados. Passou dois anos num reformatório da Califórnia e aos quinze anos abandonou a sua família para ser marinheiro, carregador, empregado de posto de gasolina e vendedor. A sorte chegou quando lhe calhou ganhar quinze dólares por semana para dizer um pequeno diálogo por noite num teatro off na Broadway.
Ele mesmo se definia como um indomável cínico, rebelde e nada bonito, e sempre procurou personagens obcecados por uma ideia, nada românticos e sem o estereótipo do galã. Ao chegar a Hollywood, na década de 1950 foi logo saudado como o sucessor de James Dean.
McQueen começou fazendo diversos papéis em séries de TV. Entre 1958 e 1961 estrelou "Procurado Vivo ou Morto", série faroeste para a CBS, que rendeu noventa e quatro episódios. Começou no cinema num papel não creditado em Marcado pela Sarjeta (Somebody Up There Likes Me, 1956), estrelado por Paul Newman. McQueen continuou a se equilibrar entre o cinema e a TV até que tirou a sorte grande ao conseguir um dos principais papéis de Sete Homens e um Destino (The Magnificent Seven, 1960), faroeste clássico de John Sturges, com Yul Brynner comandando um elenco repleto de outros jovens candidatos a astros, como Robert VaughnJames Coburn e Charles Bronson.
Filmes como Fugindo do Inferno (The Great Escape, 1963), também de John Sturges, O Canhoneiro de Yang-Tsé (The Sand Pebbles, 1966), de Robert Wise e, principalmente, Bullitt (Bullitt, 1968), dePeter Yates, estabeleceram McQueen como o típico durão hollywoodiano, versão anos 1960, papel que ele herdou de Humphrey BogartJohn Wayne e outras lendas do passado e transmitiria a Clint EastwoodBruce WillisSylvester Stallone etc.
Na década seguinte, o sucesso continuou em diversas películas bem acolhidas pelo público, como Papillon (Papillon, 1973), de Frank J. Schaffner, e Inferno na Torre (The Towering Inferno, 1974), deJohn Guillermin e Irwin Allen. No entanto, McQueen era um solitário por natureza e sua insociabilidade atingiu o ápice entre 1974 e 1978, quando preferia ficar trancado em casa, bebendo cerveja e engordando. Chegou a recusar convites milionários, como atuar em Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola ou trabalhar ao lado de Sophia Loren. Seu único interesse eram os carros e chegou ao ponto de pedir a seu mecânico para ler os roteiros que recebia e mostrar a ele apenas os mais interessantes. Finalmente, voltou ao cinema no fracassado O Inimigo do Povo (An Enemy of the People, 1978), de George Schaefer, drama adaptado da peça de Henrik Ibsen. Sua última atuação foi no thriller Caçador Implacável (The Hunter, 1980), de Buzz Kulik, já debilitado pela doença que o levaria à morte.
McQueen casou-se três vezes, a primeira com a cantora e dançarina Neile Adams (1956-1972), com quem teve seus dois filhos, depois com a atriz Ali MacGraw (1973-1978), que conheceu durante as filmagens de Os Implacáveis (The Getaway, 1972), de Sam Peckinpah, e por último com Barbara Minty (Janeiro a Novembro de 1980). Os dois primeiros terminaram em divórcio.
O ator foi vítima de um mesotelioma, câncer na membrana que envole os pulmões e é por vezes chamado de "a doença do amianto", aos cinquenta anos de idade. Quando faleceu possuía sua própria empresa cinematográfica, a Solar, e era um dos mais populares astros norte-americanos.

Filmografia
Todos os títulos em português referem-se a exibições no Brasil
§  1956 Marcado Pela Sarjeta (Somebody Up There Likes Me); não creditado
§  1957 Império de um Gangster (Never Love a Stranger)
§  1958 A Bolha Assassina (The Blob)
§  1958 O Grande Roubo de St. Louis (The Great St. Louis Bank Robbery)
§  1959 Quando Explodem as Paixões (Never So Few)
§  1960 Sete Homens e um Destino (The Magnificent Seven)
§  1961 A Máquina do Casamento (The Honeymoon Machine)
§  1962 O Inferno É Para os Heróis (Hell Is for Heroes)
§  1962 O Amante da Guerra (The War Lover)
§  1963 Fugindo do Inferno (The Great Escape)
§  1963 Quanto Vale um Homem (Soldier in the Rain)
§  1963 O Preço de um Prazer (Love with the Proper Stranger)
§  1964 O Gênio do Mal (Baby, the Rain Must Fall)
§  1965 A Mesa do Diabo (The Cincinnati Kid)
§  1965 Nevada Smith (Nevada Smith)
§  1966 O Canhoneiro do Yang-Tsé (The Sand Pebbles)
§  1968 Crown, O Magnífico (The Thomas Crown Affair)
§  1968 Bullitt (Bullitt)
§  1969 Os Rebeldes (The Reivers)
§  1971 As 24 Horas de Le Mans (Le Mans)
§  1972 Dez Segundos de Perigo (Junior Bonner)
§  1972 Os Implacáveis (The Getaway)
§  1973 Papillon (Papillon)
§  1974 Inferno na Torre (The Towering Inferno)
§  1978 O Inimigo do Povo (An Enemy of the People)
§  1980 Tom Horn (Tom Horn)
§  1980 Caçador Implacável (The Hunter)

PS: Os filmes grafados são imperdíveis.