sábado, 8 de agosto de 2009

Dia dos Pais

Lembro-me de quando era pequeno, quando meu pai nos levava, eu e meu irmão, para fazer compras no Mercado Municipal, que na época era na atual Casa Carneiro, perto do terminal, sempre aos domingos pela manhã. Íamos de bicicleta, e na volta, após percorrer toda a Avenida João Pinheiro, minha mãe preparava o almoço mais especial da semana. Enquanto cozinhava o macarrão (ou inhoque) e assava o frango, ligava o rádio. Na época, não me lembro qual das duas rádios AM locais, entrava “em pool” com a Bandeirantes para transmitir um programa de músicas, que tocava entre outros, os Beatles. Lembro-me que a transmissão era “no oferecimento exclusivo dos Condimentos Amaral”.

De outra feita, chegando de um show do Black Sabbath em São Paulo, mesmo sem saber quem era a banda ou sequer quem foi Tony Iommy ou Ronnie James Dio, perguntou-me, quando o encontrei: “Gostou do show?”

São coisas que nunca esqueço, e como adoro música e amanhã é Dia dos Pais, resolvi prestar essa pequena homenagem ao meu querido pai, o Sr. Tiãozinho, como um pequeno agradecimento a tudo que ele me deixou. Ele se foi em 1992, mas jamais me deixou. Sei que de onde está ele vai ver essa mensagem. Valeu, meu pai! Obrigado por tudo!

Feliz Dia dos Pais! Aos verdadeiros Pais!

O que o filho pensa do pai
Aos 7 anos: Papai é grande. Sabe tudo!
Aos 14 anos: Parece que Papai se engana em certas coisas que diz...
Aos 20 anos: Papai está um pouco atrasado em suas teorias, não são desta época...
Aos 25 anos: O Coroa não sabe nada... Está caducando, decididamente...
Aos 35 anos: Com minha experiência, meu Pai seria hoje milionário...
Aos 45 anos: Não sei se consulto o Velho. Talvez pudesse me aconselhar...
Aos 55 anos: Que pena Papai ter morrido, a verdade é que ele tinha idéias notáveis!
Aos 60 anos: Pobre Papai! Era um sábio! Como lastimo tê-lo compreendido tão tarde...