segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Dakar

Há que se louvar a iniciativa de fazer o Rali Dakar em território sul-americano em 2009. Pelo menos os protagonistas são de nível internacional e as dificuldades anunciadas, e vistas, nos 3 primeiros dias, são do mesmo nível da versão africana da competição. É notório que o rali perdeu muito de seu glamour, principalmente após a morte de Thierry Sabine, o homem que “criou” o Paris-Dakar, após ficar perdido no deserto com sua Yamaha XT500. Mas apesar disso, o rali ainda defende o título de “a maior aventura humana”, apesar de a nossa querida Globo apelidá-lo carinhosamente, afim de colocar umas notas de acidentes em sua programação, de “o rali da morte”. Boa sorte aos pilotos brasileiros que ainda estão competindo e o nosso desejo de pronta recuperação ao piloto de moto João Tagino, que sofreu um acidente no segundo dia do rali.