domingo, 25 de janeiro de 2009

Rock progressivo (III)

Continuando com os elementos que caracterizam o rock progressivo, vamos falar um pouco sobre os modelos de composição.

As composições do rock progressivo muitas vezes seguem estes modelos de "suite":
forma de uma peça que é subdividida em várias, à maneira da música erudita. Um bom exemplo disso é “Close To The edge” e "And You And I" do Yes no álbum Close To The Edge, que são divididas em quatro partes, ou "Shine on You Crazy Diamond" do Pink Floyd dividida em nove partes,"2112" do Rush dividida em oito partes, ou até mesmo a instrumental "La Villa Strangiato" dividida em onze partes. Outros exemplos mais recentes do metal progressivo são "A Change of Seasons" (do álbum homônimo) e "Octavarium" do Dream Theater, que é dividida em sete e cinco partes respectivamente e "Through the Looking Glass" (três partes), "The Divine Wings of Tragedy" (sete partes) e "The Odyssey" (sete partes) do Symphony X,
composição feita de várias peças, estilo “manta de retalhos”. Bons exemplo são: “Supper’s Ready” do Genesis no álbum Foxtrot e o álbum Thick As A Brick do Jethro Tull.
Uma peça que permite o desenvolvimento musical em progressões ou variações à maneira de um bolero. "Abbadon's Bolero" do trio Emerson, Lake&Palmer, “King Kong” do álbum Uncle Meat de Frank Zappa é um bom exemplo.


Continua...